REDAÇÃO FLY BY NIGHT

Entrevista com Aninha

"Quero deixar um legado muito importante na música. Quero fazer parte da história".

20/07/2017 | 16:02 - por Redação FBN
Entrevista com Aninha

De fato, logoAninha
E-Music
Aninha
dispensa apresentações por ser mais que uma artista, ela é parte fundamental da cena brasileira como um todo, estando à frente de muitos projetos que fomentam a música eletrônica nacional. Multifacetada, talvez essa seja uma boa definição.

logoAninha
E-Music
Aninha
é dona do selo AIA Records, sócia fundadora da agência de talentos 24bit - que atualmente, após a fusão com a Analog, passou a chamar Alliance Artists -, e administra cada faceta de sua carreira com um envolvimento verdadeiro, capaz de sobreviver à ciclos passageiros.

Em mais de 15 anos de carreira, desde o início, conquistou residências importantes no logoClub Vibe
Curitiba - PR
Club Vibe
e no logoWarung Beach Club
Itajaí - SC
Warung Beach Club
, além de tocar pelos principais festivais do país e diversos cantos do mundo. Queridinha do público, por onde quer que passe, leva todos a loucura com seus sets impecáveis!!!


Como você se sente quando a galera começa te chamar de logoAninha
E-Music
Aninha
, rainha do Warung?

Me sinto muito feliz com todo esse carinho e reconhecimento, tantos anos eu estar junto com o Warung e fazendo parte dessa história. É um apelido muito forte que requer uma responsabilidade muito grande. Eu espero representar o máximo desse título que foi me dado.

ANINHA: a rainha do Warung

São 15 anos de carreira, 14 anos no Warung e 4 WDF, isso sem falar no logoClub Vibe
Curitiba - PR
Club Vibe
. Inúmeras gigs aqui e mundo afora, elogio dos grandes mestres da música eletrônica e hoje a DJ pioneira do sexo feminino, com mais representatividade na cena. O que a DJ logoAninha
E-Music
Aninha
diria para aquela guria de Itapema, a Ana Paula Cabral, a 15 anos atrás?

Eu diria que nada foi em vão. Que bom que escutei meus amigos, eles me incetivavem bastante e falaram que eu tinha tudo para me tornar uma profissional. No início foi mais um hobbie do que uma profissão. Acreditei no meu coração também, remando contra a maré, pelo estilo de som que tocava.


Existe algum projeto, alguma coisa, que você ainda tem vontade de realizar, no aspecto artístico e profissional?
Tenho muita coisa pra fazer. Quero deixar um legado muito importante na música. Quero fazer parte da história. Desde o início eu quis fazer parte da história e não só apenas tocar e ser famosa - essa parte eu nunca pensei. Sempre quis em colocar um tijolo pelo menos na história da música eletrônica no Brasil. Eu quero continuar sempre, enquanto tiver saúde e disposição, fazer parte disso.


logoAninha
E-Music
Aninha
no Joinville Square Garden. Foto: Ebraim Martini.


A 24 bit manangement e Analog se uniram para forma a Alliance Artists. Como aconteceu essa fusão? E qual a missão e visão dessa nova agência?
Nosso intuito é trabalhar da melhor forma possível para levar qualidade para nossos clientes e satisfação para nossos artistas. Nós sempre víamos uma lacuna aberta nessa parte, então a formação da 24bit veio suprir essa carência e a da Analog foi de cuidar bem dos artistas. Daqui pra frente, o quanto mais podermos melhorar o serviço para artistas e clientes, estaremos felizes.

Como empresária e artista, o que você enxerga no horizonte para a cena eletrônica brasileira?
Estamos caminhando para o melhor lado. Vejo muito mais profissionalismo, artistas envolvidos, novos produtores vindos da nossa safra (a qual estou bem feliz), muito produto e artista de exportação. Vejo que a cena local e nacional está fortalecendo muito mais, internamente também os festivais, por exemplo. Tivemos ano passado muitos festivais de fora que não "sentem" a nossa cena e não ficaram felizes com o resultado obtido financeiramente - eles não têm toda essa esperança e criatividade que nós brasileiros temos para manter as coisas funcionando.

Qual o sentimento que fica por ter participado do Warung Day Festival 2017?
Eu to muito feliz porque ano passado me marcou muito, pois meu pai faleceu bem no dia do festival e eu não pude tocar. Então é como se fosse um renascimento. Todos estão felizes do grupo e pra mim foi muito especial e marcante!


logoAninha
E-Music
Aninha
no Warung Day Festival 2017. Foto: GuRemor.


Foto de capa: Hanna Siqueirah.

Voltar para redação